Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2005

Soneto

smiguel.jpg



Nessa manhã as garças não voaram

E dos confins da luz um deus chamou.

Docemente teus cílios se fecharam

Sobre o olhar onde tudo começou.


*


A terra uivou. Todas as cores mudaram

O mar emudeceu. O ar parou.

Escuros véus de pranto o sol taparam

De azáleas lívidas a ilha se cercou.


*


A que pélago o esquife te levava?

Não ao termo. A não chorar os mortos.

Teu sumo espiritual florido ensina.


*


E se o mundo em ti principiava,

No teu mistério entre astros absortos,

Suavemente, ó mãe, tudo termina.



*


(Natália Correia)

publicado por Lumife às 18:36

link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 25 de Fevereiro de 2005 às 13:49
Não conhecia. Gostei. Beijosmeialua
(http://fragmentosdalua.blogdrive.com)
(mailto:luamagica@hotmail.com)
De Anónimo a 23 de Fevereiro de 2005 às 23:14
Sempre que venho ao teu blog fico perdida a ler os poemas que publicas. obrigado por me proprocionares bons momentos. BeijinhosMónica
(http://mco.blogs.sapo.pt)
(mailto:monicacarvalho1@sapo.pt)

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. ...

. ...

. ...

. Das utopias

. ...

.

.

.

.

.

.arquivos

. Dezembro 2006

. Outubro 2006

. Março 2006

. Dezembro 2005

. Outubro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds