Quinta-feira, 9 de Dezembro de 2004

No mar, Sophia, lembra do Destino, da Morte e da grandeza do Universo

mar.jpg



.


Como o rumor do mar dentro de um búzio


O divino sussurra no universo


Algo emerge: primordial projecto.


.


Há muito que deixei aquela praia


De grandes areais e grandes vagas


Mas sou eu ainda quem na brisa respira


E é por mim que espera cintilando a maré vasa


.


Quando eu morrer voltarei para buscar


Os instantes que não vivi junto do mar


De todos os cantos do mundo


Amo com um amor mais forte e mais profundo


Aquela praia extasiada e nua


Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.


.


Mar sonoro, mar sem fundo mar sem fim.


A tua beleza aumenta quando estamos sós.


E tão fundo intimamente a tua voz


Segue o mais secreto bailar do meu sonho


Que momentos há em que eu suponho


Seres um milagre criado só para mim.



publicado por Lumife às 14:18

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. ...

. ...

. ...

. Das utopias

. ...

.

.

.

.

.

.arquivos

. Dezembro 2006

. Outubro 2006

. Março 2006

. Dezembro 2005

. Outubro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds