Sábado, 8 de Outubro de 2005

Lisboa

Lissabon.jpgLissabon-Mário Elóy Pereira-(1900-1951)-Sec.XX-Ano:1930-31-Tipo:Óleo sobre tela



por tràs dos muros da cidade

no seu coração profundo de alicerces

de argilas e de sísmicos arroios - cresce uma voz

que sobe e fende a brandura das casas




da escrita dos enumeráveis povos quase

nada resta - deitas-te exausto na lâmina da lua

sem saberes que o tejo te corrói e te suprime

de todas as idades da europa




mais além - para os lados do corpo - permanece

a tosse dos cacilheiros os olhos revirados

dos mendigos - o tecto onde um navio

nos separa de um vácuo alimentado a soro




plátanos brancos recortam-se luminescentes no olhar

de quem nos olha contra um céu desesperado - jardim

de iris açucenas palmeiras cobertas de rocio e

a ponte que nos leva aos campos do sul - lisboa




lugar derradeiro do riso

que já não te pode salvar do cemitério dos prazeres




e morres

carregado de tristezas e de mistérios - morres

algures

sentado numa praceta de bairro - o olhar fixo

no inferno marítimo das aves




Al Berto

</font>
publicado por Lumife às 18:33

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. ...

. ...

. ...

. Das utopias

. ...

.

.

.

.

.

.arquivos

. Dezembro 2006

. Outubro 2006

. Março 2006

. Dezembro 2005

. Outubro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds